A pratica da dança na terceira idade

A pratica da dança na terceira idade - Viver Com Arte e Acessórios

A pratica da dança na terceira idade

Após a aposentadoria muitos idosos acreditam que perderam a importância em casa e na sociedade. É comum ouvirmos frases que demonstram o sentimento que alguns carregam: o de serem um peso na vida dos familiares. Aos poucos, a maioria dos idosos deixa de fazer atividades físicas e cultivar uma vida social.

É muito importante que o idoso faça alguma atividade física e esteja em contato com outras pessoas. A dança pode ser uma distração eficiente, além de muito prazerosa, em todas as faixas etárias e precisamente na terceira idade. A socialização e a alegria da dança ajudam a melhorar o humor e prevenir doenças como depressão e até o Alzheimer.

A dança é uma atividade de baixo impacto, o risco de lesão é pequeno. O que a faz ser uma boa alternativa.

Conheça alguns dos benefícios da dança na Terceira Idade:

- Melhora o equilíbrio, a flexibilidade, alonga e exercita os músculos;

- Ajuda a prevenir a depressão;

- Eleva a capacidade cardiorrespiratória;

- Melhora a qualidade do sono;

- Exercita a coordenação motora;

- Estimula o convívio social;

- Faz bem para a autoestima;

- Auxilia a perda e a manutenção de peso.

Para pessoas que não curtem fazer exercícios físicos periodicamente, a dança pode ser a solução.

Ela passa a exercer a função de atividade física e, ao mesmo tempo, de lazer.

Além de exercitar o corpo e a mente, melhora a autoestima e é, também, um ótimo passatempo!

Estudos relacionando dança e idosos comprovam que a atividade contribui para a saúde física e mental, especialmente no desenvolvimento da força, agilidade, flexibilidade, do ritmo e equilíbrio. Exercícios físicos, quando realizados regularmente, retardam as doenças que podem acometer pessoas idosas.

Sustentação e equilíbrio

A dança promove a independência funcional do indivíduo, por meio da manutenção de sua força muscular, principalmente de sustentação, equilíbrio, potência aeróbica, movimentos corporais totais e mudanças no estilo de vida. É uma atividade que minimiza as dificuldades encontradas nesta faixa etária.

Expressão do corpo e da mente

Pense no quanto nossos avós viveram, as alegrias e dificuldades, os erros e acertos. É muita coisa pra carregar junto de si, não é mesmo? E não só isso, o indivíduo se torna limitado, às vezes até reprimido. Pois a dança, além de ser uma das atividades físicas aeróbicas mais alegres, na qual todos podem participar, sem restrições nem contraindicações, também trabalha uma parte importante: a possibilidade de extravasar emoções e sentimentos.

Integração e novas amizades

Por ser uma atividade realizada em grupo, facilita a integração e o fortalecimento das amizades, com superação de limites físicos. A dança ajuda a diminuir angústias e incertezas que cercam este grupo durante a vida cotidiana.

Melhora da memória e combate à depressão

A prática da dança trabalha com a experiência prévia que o idoso já tem com a dança e a música, o que pode motivar ainda mais a continuar dançando. Não só isso, ela ajuda a manter o cérebro em plena atividade, melhorando, desta forma, a coordenação motora e a concentração, pois eleva a circulação cerebral em áreas adormecidas.

Os estímulos desta atividade aumentam as conexões neuronais, o que proporciona ao idoso maiores habilidades no aprendizado, raciocínio e na memória.

Isso reduz o estresse e a ansiedade, eleva a autoestima e afasta os sintomas da depressão, pois, por meio do exercício físico, o cérebro libera serotonina, uma substância que traz a sensação de alívio, melhorando o humor e o sono.

Fontes:
https://www.donnadanca.com.br/blog-ler/a-danca-na-terceira-idade/158/
https://www.posunifae.com.br/os-beneficios-da-danca-na-terceira-idade/noticia/776